NIC.br

Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR
CGI.br

Imprensa NIC.br

Ir para o conteúdo

Arquivo do Clipping 2005

Veículo:Jornal do Brasilia
Data: 07/06/2005
Assunto: CGI.br

Dez anos da internet no Brasil

A internet comercial chegou as telas dos computadores brasileiros há dez anos. De 1995 para 2005, o estilo "www.com.br" tornou-se parte da vida de jovens e adultos, seja na busca de informações para o trabalho, seja nas horas de lazer.

Segundo o Ibope/NetRatings, hoje 32 milhões de brasileiros, acima dos 16 anos, têm acesso à grande rede. Este número coloca o Brasil à frente de países desenvolvidos, a exemplo da Austrália, com 13,7 milhões e da Espanha, com 23,7 milhões.

"No começo, as pessoas julgavam a web como uma coisa interessante, uma curiosidade. Hoje uma família de classe média não se permite viver sem uma conexão dentro de casa. E a rede ainda é uma revolução. Em 95, usava-se a telefonia para acessar a internet. Hoje, com a banda larga, utiliza-se a rede para usar o telefone (VoIP)", resume Leonardo Lazarte, professor de Matemática da UnB.

0 esboço do que viria a ser a atual web foi traçado em 1962. Ano em que os Estados Unidos delinearam a Arpa-net, uma rede digital criada para atender ao exército norte-americano. Em 69, o projeto militar foi concluído. O protocolo IP, responsável pelos fluxos de informações da internet, começou a ser adotado muitos anos depois, a partir de 1982.

Nos anos seguintes, as universidades dos EUA desenvolveram a Bitnet, exclusiva para fins acadêmicos.

Em 1988, a rede universitária chegou ao Brasil. 0 Laboratório de Ciências da Computação (LNCC), do Rio de Janeiro, e a Fapesp paulista receberam as primeiras conexões. "Cada instituição que recebia um acesso da Bitnet era obrigada a oferecer outro para uma segunda. Dessa forma a rede universitária espalhou-se pelo Brasil", relembra Demi Getschko, conselheiro do Comitê Gestor da internet no Brasil.

A web popularizou-se no Brasil, só em 95. Mas o acesso era caro. Assim grande parte da classe média vivia um dilema. As pessoas possuíam um PC em casa, mas não tinham condições de pagar pela internet. A situação só mudou em 2000. Nesse ano, os provedores gratuitos tomaram o mercado virtual de assalto, tendo o IG, como exemplo. Eles impulsionaram um aumento significativo na frota de navegantes brazucas pela internet.

Para Demi Getschko, a aterrissagem da banda larga, em 2001, também é um capítulo a ser lembrado na história virtual da terra da Bossa Nova. "As tarifas pelo acesso à web passaram a não depender mais do tempo em frente à máquina. Com o taxímetro desligado, as pessoas passaram a ficar muito mais tempo diante do computador", conclui o conselheiro.