NIC.br

Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR
CGI.br

Imprensa NIC.br

Ir para o conteúdo

Arquivo do Clipping 2005

Veículo:Diário do Comércio Online
Data: 07/06/2005
Assunto: CGI.br

Comitê gestor conquista independência

Como tudo é mais rápido no mundo virtual, bastaram dez anos para que o Comitê Gestor da Internet no Brasil alcançasse sua "maioridade" e conquistasse a independência financeira. Ao completar dez anos, na semana passada, o CGI aproveitou a festa para anunciar a profissionalização dos serviços de governança da internet no país através do NIC.br -uma associação civil sem fins lucrativos cujo principal objetivo é executar as atividades de registro e manutenção de nomes de domínio com a extensão ".br".

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br -que deve estar em pleno funcionamento dentro de dois meses- será o braço executivo e financeiro do CGI. Apenas com os atuais 768 mil domínios .br, a uma taxa de manutenção anual de R$ 30, o NIC.br já garante orçamento de R$ 23 milhões ao ano.

Até agora, a arrecadação e guarda dessa verba era uma responsabilidade da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Atualmente, há R$ 118 milhões acumulados, que o CGI só poderá investir se os seus projetos forem aprovados também pela Fapesp.

"O NIC.br será responsável pela distribuição de endereços Internet Protocol (IP), além de atender aos requisitos de segurança e emergência na internet brasileira, em cooperação com as entidades e os órgãos responsáveis", diz António Tavares, conselheiro do CGI.

Segundo ele, essas atividades sempre foram realizadas pela Fapesp. "A Fundação, técnica e economicamente preparada, ajudou o CGI a viabilizar o registro brasileiro e passou a operá-lo como um projeto de pesquisa, dentro da própria Fapesp."

"O NIC.br permitirá que tenhamos uma estrutura mais flexível e maior agilidade operacional", diz Marcelo de Carvalho Lopes, coordenador do CGI e secretário de Política de Informática do Ministério de Ciência e Tecnologia.

A nova entidade também será responsável por providenciar e divulgar indicadores e estatísticas sobre o desenvolvimento da internet no Brasil e pela criação de procedimentos técnicos, administrativos e éticos para o bom desenvolvimento dos serviços e web local.

Segurança - A resposta a incidentes de segurança em computadores de redes conectadas à internet local também ficará a cargo do NIC.br, através do CERT -Centro de Estudos, Resposta e Tratamento a Incidentes de Segurança na Internet no Brasil (antigo NBSO).

Já o PTT-Metro é o projeto do CGI, agora sob tutela do NIC.br, que promove e cria a infra-estrutura necessária -Pontos de Troca de Tráfego (PTT)- para a interconexão entre as redes que compõem a internet brasileira. A atuação do PTT-Metro é voltada para as regiões metropolitanas que apresentam grande interesse de troca de tráfego.

O CGI possui diversos grupos de trabalho criados para subsidiar as decisões e as recomendações técnicas do CGI.br. Estes grupos coordenam projetos em áreas de importância fundamental para o funcionamento e o desenvolvimento da rede no País. A equipe fixa do NIC.br tem 48 funcionários.

"Nestes dez anos, o CGI foi responsável por uma série de avanços no que diz respeito ao uso consciente da rede no Brasil", diz Hartmut Richard Glaser, coordenador executivo do CGI. "Acreditamos que, daqui para frente, a internet caminhe para uma fase global e se torne a infra-estrutura de interação e informação de todo o mundo."